Opinião | Artigo

Ligado em notícias, nunca desligo

Luiz Thadeu Nunes e Silva *19/10/2021

Na última sexta-feira, 15/10, o principal canal de notícias do Brasil completou 25 anos. Consumidor de notícias, acompanho a GloboNews desde sua fundação em 15 de outubro de 1996, quando entrou no ar, no final da tarde daquele dia.

No encerramento do Jornal Nacional, da última sexta-feira, os apresentadores, William Bonner e Renata Vasconcellos, emocionados, exibiram uma matéria especial sobre os 25 anos da GloboNews, o primeiro canal brasileiro de televisão exclusivamente dedicado ao jornalismo. “Em graus diferentes, estamos muito emocionados aqui. Então, cabe a mim dizer que logo mais...”, começou Bonner, com a voz embargada. Renata leu o texto seguinte chorando, que é casada com Miguel Athayde, diretor-geral da GloboNews.

Desenvolvido por uma mescla de profissionais experientes e um time promissor de jovens apresentadores e repórteres, junto com a GloboNews nascia uma de suas marcas ao longo dos anos: a formação de grandes nomes do jornalismo nacional, como a própria Renata Vasconcellos.Foi em 15 de outubro de 1996 que ela estreou na TV em horário nobre, pela bancada do jornal Em Cima da Hora, um boletim exibido a cada meia hora no canal, então em parceria com Eduardo Grillo.

Durante minha longa convalescença, por causa do grave acidente automobilístico que sofri em uma BR-RN, a maior parte do tempo que passei em leitos hospitalares, a GloboNews foi uma companheira inseparável. Sempre ligado em notícias, sabia de cor toda a programação, o nome dos apresentadores.

Em duas passagens, estive próximo do canal: meu filho Frederico e a então namorada, hoje esposa, Isadora, estavam no Museu do Louvre, em Paris, quando vi pela GloboNews, ao acordar, ao vivo, que o museu tinha sido fechado, um homem com uma faca, o egípcio Abdullah Reda al-Hamamy, 29 anos, entrou no museu, ameaçando quem ali estava. Frederico me passou uma mensagem via WhatsApp, do subsolo do Louvre, para todos foram levados, sem saber o que estava acontecendo. Pedi para ele gravar um vídeo, narrado o que ele via em seu entorno. Ele me enviou o vídeo, que enviei para a GloboNews. Naquele dia, 03/02/2017, o v&iacut e;deo foi ao uma dezena de vezes, na grade da emissora, com a fala de Frederico. Na segunda vezes, fui à Globo Internacional, NY, para entrevista, e minha foto com a jornalista Sandra Coutinho, ficou em um grande painel nos corredores dos estúdios da GloboNews no Rio de Janeiro.

Notícia em primeira mão, ao vivo, análises que cobrem todos os aspectos da informação. Acompanhei o 11/09, nos EUA, ao vivo, por dias. O canal se tornou essencial para formar opinião para os que gostam de notícia e informação.

No isolamento por causa da pandemia do coronavírus, recluso em casa, foi nos canais fechados de notícias, que passei boa parte do tempo, em especial a GloboNews. Acordo com Julia Duailibi, uma das melhores comentarista de política do país. No início da tarde, Maria Beltrão, no EstúdioI, e fecho a noite, com o J10, apresentado pela maranhense Aline Midlej. Além de Cristiane Pelajo, Leilane Neubarth, Cecília Flesch, Leila Staerenberbg, Andrea Sadi, Natura Neri, Ana Flor. As mulheres dominaram a tela e noticiário da GloboNews, com frescor e competência.

Com 24 h de notícia, a GloboNews, 25 anos, nunca desliga.


* Eng. Agrônomo, Palestrante, cronista e viajante: o sul-americano mais viajado do mundo com mobilidade reduzida, visitou 143 países em todos os continentes

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte