Cidades | Infectado

Criança que contraiu vírus da raiva está grave

Após ser mordido por um animal silvestre, em Chapadinha, menino de 2 anos está o HU-UFMA
Evandro Júnior / O Estado15/10/2021
Criança que contraiu vírus da raiva está graveCriança infectada com raiva permanece internada no HU-UFMA (De Jesus / O ESTADO)

São Luís - Um menino de 2 anos, internado no Hospital Universitário Presidente Dutra (HU-UFMA), vítima do vírus da raiva, após ser mordido por animal silvestre, no povoado de Santa Rita, em Chapadinha, está em estado grave, segundo informou, ontem à tarde, a Secretaria de Estado da Saúde (SES). O caso foi confirmado em laboratório, no dia 6 de outubro, mas já havia sido comunicado no dia 22 de setembro. Trata-se do primeiro caso da doença registrado após oito anos no Maranhão.

Antes, em 2013, os últimos dois casos foram notificados nos municípios de Humberto de Campos e São José de Ribamar. A SES informou que o governo montou uma força tarefa para fazer o controle da raiva em Chapadinha, após o registro, confirmado laboratorialmente.

Integram a força tarefa as equipes técnicas da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA) e da SES, para que atuem dentro de suas competências no controle e prevenção da raiva. A Aged desenvolve ações de controle da raiva dos herbívoros como bovídeos (bois e búfalos), equídeos (cavalos, mulas e asnos), caprinos e ovinos e a Secretaria Estadual de Saúde atua na prevenção da raiva humana.

Ainda não há confirmação da origem da doença. Atualmente, está sendo feito um bloqueio e investigação em cães e gatos da região. Na última semana, autoridades de saúde anunciaram a vacinação contra a raiva em todas as pessoas do povoado, além do treinamento para todos os agentes comunitários de saúde em Chapadinha, treinamento para os médicos e enfermeiros sobre o diagnóstico da raiva e protocolos de atendimento.

Na manhã de sexta-feira (8), uma equipe da Aged participou de reunião com representantes da Secretaria de Saúde para definir as estratégias de atuação. À tarde, os fiscais da Aged se deslocaram ao povoado Santa Rita para fazer a rastreabilidade, a investigação epidemiológica e a busca ativa de casos suspeitos de doença nervosa em animais.

Foco
Conforme o governo estadual, a Aged atua com foco no ciclo rural, que tem como reservatório o morcego hematófago (Desmodus rotundus) e caracteriza-se pela transmissão da raiva aos herbívoros, via Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros, instituído pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Além disso, desenvolve ações específicas de controle da doença, por meio de fiscalização da vacinação antirrábica, controle da população de morcegos hematófagos da espécie Desmodus rotundus (principal transmissor da raiva aos herbívoros), monitoramento de abrigos de morcegos, vigilância epidemiológica e educação sanitária.

Qualquer agressão de animal em humanos, seja doméstico ou silvestre, deve ser comunicada à Secretaria Estadual de Saúde, bem como qualquer mordida de morcegos em animais herbívoros à Aged, para realização do controle e prevenção da doença.

SAIBA MAIS

Sobre a raiva

É uma doença aguda do Sistema Nervoso Central, que pode acometer todos os mamíferos, inclusive os seres humanos, caracterizada por uma encefalomielite viral e 100% letal, a partir do aparecimento dos sintomas. É considerada uma doença importante pelas grandes perdas econômicas causadas pela morte de animais e seres humanos. Esta doença possui ciclos relacionados à saúde única, que envolve seres humanos, os animais e o meio ambiente. A doença possui quatro ciclos que são o urbano, rural, silvestre e aéreo.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte