Cidades | Sequelas

Centro de Referência Pós-Covid faz mais de 10 mil atendimentos

Local conta com os serviços de psiquiatria, neurologia, fisioterapia, nutrição, médico de terapias integrativas, pediatria, psicologia, terapia ocupacional, cardiologia, pneumologia e assistência social
Kethlen Mata/ O Estado 14/10/2021
Centro de Referência Pós-Covid faz mais de 10 mil atendimentospaciente faz tratamento no Centro de Referência Pós-Covid (Paulo Soares / O Estado)

São Luís –

Em cinco meses, o Centro de Referência Pós-Covid da Prefeitura de São Luís – especializado no tratamento de pessoas sequeladas pela Covid-19 – já realizou 10.076 atendimentos. O total equivale a atendimentos médicos e de reabilitação. Entre os serviços oferecidos pelo Centro, os mais procurados são pneumologia, psiquiatria e cardiologia. O local oferece diversas especialidades, como psiquiatria, neurologia, fisioterapia, nutrição, médico de terapias integrativas, pediatria, psicologia, terapia ocupacional, cardiologia, pneumologia e assistência social.

O número total de atendimentos médicos realizados, até o dia 13 de outubro, é de 2.403, enquanto somaram 7.673 registros de atendimentos realizados pela equipe de reabilitação. Localizado na Unidade Mista do Bequimão, o espaço atende, em média, 120 pessoas por dia. Entretanto, em relação ao número de pacientes, até então, foram 924. A disparidade é explicada, pois cada indivíduo passa por uma série de especialistas até findar seu tratamento.

De acordo com o fisioterapeuta e coordenador-geral do ambulatório, Michel Cabral Jorge, as principais sequelas observadas – durante esses cinco meses de funcionamento do Centro – são: fadiga respiratória, fraqueza muscular, cansaço aos pequenos esforços, cefaleia, tontura, esquecimento, ansiedade e depressão.

“Estamos tendo uma procura expressiva ainda, apesar dos números da Covid terem diminuído consideravelmente no Brasil todo. Mas, as sequelas, em alguns pacientes, aparecem no fim da doença e em muitos outros, as sequelas só apresentam até um ano depois das sintomas da Covid. Psiquiatria, por exemplo, a procura é muito grande porque ficaram muitas sequelas psicológicas. A Covid afetou a parte física, mental e econômica, de muitos pacientes. É uma das maiores procuras, assim como a cardiologia e pneumologia”, afirmou Michel.

Atendimentos
Cada profissional que integra a equipe do ambulatório, atende 16 pacientes por turno, durante dois dias na semana. As especialidades realizam uma espécie de rodízio que permite que todos os dias os pacientes sejam atendidos. No período da manhã, de 7h às 12h, e no turno da tarde, de 13h às 17h. Michel Cabral Jorge conta que a procura é tanta, que as vagas são preenchidas de uma a duas semanas antes das consultas.

O ambiente recebe pessoas de todas as idades e de todos os bairros de São Luís. O coordenador destaca a população adulta, a partir dos 20 anos, como uma das mais atendidas pelo Centro, mas que a média ainda é maior em pessoas acima dos 30 anos.

“A procura ainda é alta e nem temos previsão de quando isso vai melhorar, mas pode ser que, futuramente, se os atendimentos começarem a cair muito, talvez a Secretaria de Saúde possa mudar a unidade, mas por enquanto a procura ainda está sendo muito alta”, pontua.

Agendamento e tratamento
O agendamento no Centro de Referência Pós-Covid é feito de forma presencial, ou seja, o paciente deve procurar a Unidade Mista do Bequimão marcar uma consulta com o clínico geral (adultos e adolescentes) e pediatra (crianças). Depois desse procedimento, a pessoa é encaminhada para as especialidades que necessita.

O período de tratamento no Centro varia para cada caso. Por exemplo, na equipe de reabilitação, são 10 seções.

SAIBA MAIS

Práticas integrativas:

Além das especialidades convencionais, o Centro de Referência Pós-Covid também oferece aos pacientes os serviços de acupuntura, ventoaterapia, florais de bach, reiki e meditação.

Números

120 atendimentos/dia
2.403 atendimentos médicos
7.673 atendimentos equipe da reabilitação
10.076 atendimentos médicos + reabilitação:
924 pacientes atendidos

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte