Vida | Alimentação

Vegetarianismo: além da mudança alimentar

Adotar a dieta sem alimentos de origem animal é uma mudança de estilo de vida; de acordo com a última pesquisa Ibope sobre o assunto, de 2018, cerca de 30 milhões de brasileiros já são vegetarianos
07/10/2021
Vegetarianismo: além da mudança alimentarDivulgação

São Luís -Um dos maiores mitos sobre as dietas vegetarianas é de que ela pode prejudicar a retenção de algumas vitaminas. A professora do curso de Nutrição do Centro Universitário Estácio São Luís, Gabriele Rocha explica que, de maneira geral, as dietas vegetarianas podem fornecer todos os nutrientes necessários ao organismo.

“Devemos observar com atenção alguns nutrientes específicos que podem variar em quantidade nessas dietas, como é o caso do ferro, do zinco e ômega-3. Já o vegetariano estrito deve atentar para a vitamina B12 e o cálcio. Essas particularidades devem ser avaliadas pelo nutricionista que poderá utilizar estratégias nutricionais, a fim de otimizar a ingestão e absorção de todos esses elementos pelo organismo”, destaca.

Tipos de vegetarianismo
Você deve ter notado que a professora utilizou o termo “vegetariano estrito”, mas você sabe o que é isso? Existem diferenças dentro do próprio vegetarianismo. Gabriele afirma que essas dietas podem ser classificadas de acordo com o consumo de subprodutos animais (ovos ou laticínios).

“É o caso dos ovolactovegetarianos, lactovegetarianos e ovovegetarianos, sendo os vegetarianos estritos aqueles que não consomem nenhum derivado animal na sua alimentação e o vegano aquele com as mesmas características do vegano estrito, mas que também não utiliza componentes animais como lã, couro, seda ou produtos testados em animais”, frisa.

Vivência
Aos 22 anos, a estudante Bárbara dos Reis - que sempre teve simpatia pela causa animal e há 4 anos tentava se adaptar a esse estilo de vida - decidiu em 2021, se tornar vegetariana. Ela se trata de uma ovolactovegetariana, mas sua meta é tirar os produtos de origem animal de forma completa da sua dieta.

“Sabia que era um processo gradual, pois poderia impactar na minha saúde. Então quando comecei, primeiro tentava parar um pouco com a carne vermelha, depois a branca. Mas eu não conseguia. Então, neste ano, decidi ir a nutricionista e ela conseguiu montar uma dieta sem a proteína animal”, explica.

Há alguns meses no processo de adaptação, ela já consegue identificar os sinais positivos da nova dieta na sua vida. Bárbara lida com problemas de gastrite, e percebeu que após parar com a carne vermelha, seu metabolismo melhorou consideravelmente.

“Me sinto menos inchada, menos cansada. Consigo fazer as coisas com maior disposição. Eu percebi que depois que cortei o consumo de carne animal, me tornei bem mais disposta para fazer exercícios”, conta.

Benefícios
A nutricionista alerta que diversos estudos científicos, incluindo também o Guia Alimentar de Dietas Vegetarianas para Adultos, apontam para os benefícios que as dietas vegetarianas podem gerar à saúde. “Com destaque para a prevenção das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), como, por exemplo, doenças cardiovasculares e câncer”, enfatiza.

Quem tiver a vontade de mudar de hábitos e abrir mão de carne na dieta, pode começar a fazer essa transição com a ajuda de nutricionistas, que poderá colocar na balança não só os benefícios do vegetarianismo, mas transformar essa mudança em uma deliciosa e saudável mudança de estilo de vida. l

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte