Cidades | Comércio

Shopping Rua Grande deve ser inaugurado em janeiro de 2022

Espaço que contará com praça de alimentação, feirinha cultural e até arraial permanente está sendo reformado no programa "Adote um Casarão"
Kethlen Mata/ O Estado06/10/2021 às 00h00
Shopping Rua Grande deve ser inaugurado em janeiro de 2022Shopping será um incentivo a mais para o comércio de uma das áreas mais movimentadas da cidade (Paulo Soares / O Estado)

São Luís – O prédio onde funcionou por muitos anos a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), no início da Rua Grande, está sendo reformado por meio do programa do estado ‘Adote um Casarão’, com previsão de entrega para o fim do mês de janeiro de 2022. O espaço, agora abrigará o ‘Shopping Rua Grande’, um incentivo a mais para o comércio no local. Um dos diferenciais da obra é que mulheres da startup Ela Faz estão participando ativamente na construção do shopping.

De acordo com a Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid) o programa 'Adote um Casarão’, funciona de maneira que pessoas físicas ou jurídicas realizam o projeto e reforma de imóveis do Centro Histórico, de propriedade do Estado. Em contrapartida, recebem incentivos fiscais. Por isso, somente o adotante possui informações específicas da obra, neste caso, o empresário Ribamar Viana.

O Shopping
A obra do shopping, com investimento de R$ 3 milhões, será uma novidade na Rua Grande – espaço conhecido, além das lojas variadas no decorrer da via, pela presença de muitos trabalhadores informais. O shopping contará com pontos de aluguel para lojistas, praça de alimentação, uma feirinha cultural, shows e brincadeiras, oficinas e exposições, arte em grafite e um arraial permanente.

Um dos diferenciais da obra, é o foco na representatividade feminina no processo de construção do shopping. Várias mulheres da construção civil da startup maranhense Ela Faz têm ajudado a construir o projeto. A co-fundadora da plataforma, Lívia Viana explica que a capacitação pode proporcionar tanto visibilidade quanto um maior número de mulheres no mercado. As trabalhadoras estão incluídas na ONG interna Ela na Obra.

“Para a capacitação a gente tem um projeto que é o Ela na Obra – que hoje funciona como uma (ONG), fazemos a capacitação de eletricistas, pedreiras, encanadoras, pintoras. Todas essas mulheres têm um estágio supervisionado com um profissional qualificado no mercado de trabalho, isso assegura a entrega da qualidade na prestação de serviço”, elenca.

Ela Faz
O Ela Faz é uma plataforma de intermediação de mão de obra de mulher para mulher. De acordo Lívia Viana, a iniciativa atende mulheres que não se sentem seguras em receber um homem em casa e gostariam de receber uma outra mulher.

“Ao passo que nós temos a proposta de inserir a mulher em situação de vulnerabilidade social. Visualizamos que a construção civil tem uma grande demanda de oferta de trabalho, mas com pouca inserção da mulher, ou seja, 1% de representatividade feminina. Então, capacitando e inserindo a mulher no mercado de trabalho foi aonde vimos uma excelente oportunidade também de negócio”, afirma.

SAIBA MAIS

Adote um Casarão

Gerenciado pela Secid, o programa Adote um Casarão disponibiliza, por meio de editais, imóveis do Estado que estejam desocupados ou subutilizados, para empresas ou grupos culturais que se comprometem em restaurar o prédio para uso por um tempo de até 15 anos.

O programa faz parte de um programa mais amplo, o Nosso Centro, por meio do qual o Governo do Estado está desenvolvendo diversos projetos que estão gerando um desenvolvimento sustentável no Centro Histórico de São Luís.

NÚMEROS

  • R$ 3 milhões em investimento privado para obra do shopping
  • 2022 é o ano de entrega do Shopping Rua Grande, em janeiro

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte