Editorial | Opinião

Assuntos de outubro

02/10/2021

Pelo menos quatro assuntos movimentam o primeiro fim de semana de outubro: o corte de energia de consumidores de baixa renda por falta de pagamento, que volta a ser permitido; menos mortes por covid registradas no mês passado e o retorno oficial da torcida aos estádios de futebol do Brasil. E mais: o preço da cerveja aumentou para desagrado dos apreciadores dessa popular bebida de norte a sul do país.

Não foi uma boa notícia a decisão do corte de energia, que passou a ser permitido desde sexta-feira (1º). Em abril, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) suspendeu o corte de luz por inadimplência para os beneficiários da tarifa social em razão da crise provocada pela pandemia do coronavírus.

Inicialmente, a medida valeria até 30 de junho, mas foi prorrogada pela agência até 30 de setembro. Agora, não há previsão de outro adiamento. A proibição do corte contemplou cerca de 12 milhões de famílias que se enquadram na tarifa social de energia elétrica.

Não custa lembrar que a tarifa social é uma política pública que concede descontos na conta de luz para as famílias de baixa renda. O consumidor recebe um abatimento mensal na conta de luz que varia de acordo com a tabela de consumo.

As regras para o corte de energia por falta de pagamento não mudaram, apenas foram suspensas para os consumidores de baixa renda. Pelos últimos seis meses, a Aneel suspendeu cortes de energia de aproximadamente 12 milhões de famílias consideradas de baixa renda, devido à crise causada pela pandemia da Covid-19.

Em se tratando de pandemia da Covid-19, a campanha de vacinação continua impactando de maneira positiva os números da doença no Brasil. Setembro foi o mês com menos mortes pela covid em 2021, com 16.336 vítimas fatais. Foi também o menor saldo mensal desde novembro de 2020.

O número é muito inferior em comparação com os piores 30 dias do ano: no pico da segunda onda, em abril, 82.266 brasileiros morreram. Com relação à média móvel, a taxa está em 540,7 e chegou a 25 dias seguidos abaixo de 600. Além disso, é 6,9% menor em relação a duas semanas atrás, o que indica estabilidade. O nono mês do ano terminou com 71,86% da população vacinada com uma dose e 43,16% com o esquema completo.

E já que saúde é um assunto presente na vida de milhões de pessoas no país, vale destacar a tradicional campanha Outubro Rosa, um movimento de conscientização sobre o câncer de mama que surgiu na década de 90 com a Fundação Susan G. Komen for the Cure e tomou proporções mundiais. Há muitos eventos programados para este mês em todo o país.

A Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) montou um gráfico com dados do SUS a partir de 2017 que mostra como o número de mamografias aumenta nos meses de outubro e novembro. Em 2019, por exemplo, foram 229.238 exames em março (mês com o menor número) contra 330.239 em outubro e 305.703 em novembro. Com a pandemia em 2020, o número de mamografias em abril foi de apenas 61.357, mas em outubro deu um salto: 218.508 e mais 258.951 em novembro. O exame pode salvar vidas.

E como vivemos uma ciranda de alta de preços em produtos diversos neste país, sobrou também para os apreciadores da “loura gelada”, que já estou pagando mais caro pelo produto. E por conta disso o setor de bares e restaurantes recebeu com preocupação o reajuste no preço da cerveja anunciado pela Ambev, dona de marcas como Skol, Brahma, Antarctica, Bohemia, entre outras. Para a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), a expectativa é de que o aumento acompanhe a inflação acumulada nos últimos 12 meses e fique em até 10%.

A Ambev não informou o percentual de aumento nos preços das bebidas. O cálculo, segundo a empresa, “varia de acordo com as regiões, marca, canal de venda e embalagem”. A companhia explicou ainda que o reajuste é feito anualmente e faz parte da política de preços.

Portanto, os consumidores de cerveja pelos quatro cantos da Região Metropolitana de São Luís já deverão pagar mais caro pelo produto neste sábado e domingo em bares, restaurantes e outros estabelecimentos de diversão. Um feliz outubro.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte