Cidades | Estiagem

Queimadas na área urbana é motivo de alerta em Imperatriz

Além dos danos ao meio ambiente, elas também causam impactos na saúde da população
20/08/2021 às 14h08
Queimadas na área urbana é motivo de alerta em ImperatrizAumento da incidência na utilização de fogo para a limpeza de terrenos e a queima de lixo é preocupante (Divulgação)

Imperatriz - Nos últimos dias Imperatriz vem registrando aumento na incidência de queimadas na área urbana da cidade. A utilização de fogo para a limpeza de terrenos e a queima de lixo, infelizmente, são práticas ainda comuns. Além dos danos causados ao meio ambiente, as queimadas impactam a saúde da população, pois agravam os problemas respiratórios e, consequentemente, pioram doenças do sistema respiratório, como a Covid-19 e a Influenza.

“A proibição vale para qualquer que seja a queimada, seja incineração de lixo, detritos, entre outros objetos e demais produtos. Precisamos nos conscientizar, pois muitos moradores foram acometidos por esse vírus cruel que ataca, principalmente, a parte respiratória. É preciso que toda população ajude a combater a realização de queimadas e os transtornos que elas causam à saúde dos moradores e ao meio ambiente”, frisou a secretária de Meio Ambiente, Rosa Arruda.

Diversos estudos sobre o impacto das queimadas sobre a população apontam que na fumaça existem partículas muito finas, capazes de chegar ao sistema respiratório, atingir os alvéolos pulmonares e ter contato com a corrente sanguínea, sendo, dessa forma, extremamente prejudiciais à saúde, especialmente das pessoas que apresentam alguma doença respiratória ou pulmonar crônica. Além disso, muitos compostos que favorecem o desenvolvimento de câncer estão presentes nessas emissões, o que contribui para danificar as células pulmonares quando inalados.

O período de estiagem está relacionado à ausência de chuvas previstas entre os meses de abril e outubro. A engenheira florestal, Bárbara Brenda Soares, diretora do Departamento de Educação Ambiental e Socioambiental ressalta que queimadas para limpeza de terreno, preparo do solo, ou para se livrar de entulhos é crime e podem causar grandes problemas e que por isso é fundamental o apoio da população.

“Estamos em período de estiagem, cuja tendência é que a fumaça, provocada pelo fogo, prejudique. As queimadas são proibidas por lei e os infratores estão sujeitos a multas. Que a população nos ajude na conscientização sobre os prejuízos trazidos por esse tipo de prática e denuncie os focos de incêndio nas áreas urbanas, por meio dos canais de atendimentos”, enfatizou Bárbara Brenda.

SAIBA MAIS

As denuncias podem ser feitas para a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semmarh), por meio do telefone (99) 99218-4275, ou Corpo de Bombeiros, através do 193.

De acordo com o Código Penal Brasileiro, Lei nº 2.848/1940, artigo 250, quem causar incêndio, causando perigo à vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem, resulta em reclusão, de três a seis anos e multa.

A Lei de Crimes Ambientais, Lei Federal 9.605/1998, estabelece que quem provocar queimadas está sujeito a pena de reclusão e a multa que pode chegar a R$ 5 mil. O Decreto Federal 6.514/2008 converte infração ambiental de multa simples em serviços de preservação, melhoria e recuperação da qualidade do meio ambiente.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte