Cidades | Capacitação

Funcionários de bares aprendem primeiros socorros

Projeto é coordenado pelo Núcleo de Educação em Urgência (NEU) do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu)
20/08/2021
Funcionários de bares aprendem primeiros socorrosIntenção é garantir atendimento de urgência antes da chegada do socorro especializado (Divulgação)

São Luís - As atividades do Projeto Samu nos Bares e Restaurantes foi retomada esta semana pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus). A iniciativa tem como objetivo principal capacitar os funcionários em atendimento de primeiros socorros dentro dos bares, lanchonetes e restaurantes da capital maranhense. O projeto é coordenado pelo Núcleo de Educação em Urgência (NEU) do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu).

"Conhecimento e agilidade são fundamentais na hora de lidar com emergências. A Prefeitura volta a oferecer a capacitação, por meio do Samu, em diversos estabelecimentos espalhados por São Luís, para orientar esses trabalhadores no dia a dia e também em casos que podem ajudar a salvar vidas em emergências", disse o secretário municipal de Saúde, Joel Nunes.

Durante o treinamento, os trabalhadores aprendem de forma prática e objetiva a reconhecer e tratar de casos de parada cardiorrespiratória (PCR), engasgo, e, ainda, a esclarecer dúvidas a respeito de outros agravos como queimadura, crise convulsiva e choque elétrico, urgências que podem ocorrer, inclusive, em ambiente doméstico.

"Nós tratamos com o tempo. A espera por um socorro ou o tempo de deslocamento para uma emergência podem ser fatais em muitos casos, então esse primeiro socorro é essencial. Devemos reconhecer isso e estender essa capacitação", explica Gilzep Campos, coordenador do Núcleo de Educação em Urgência da Samu.

Os primeiros socorros feitos diante de urgências enquanto o socorro especializado não chega colaboram efetivamente para o não agravamento do quadro. Um caso que exemplifica bem isso são as paradas cardiorrespiratórias, que, para garantir a sobrevida do paciente, é essencial iniciar as compressões torácicas imediatamente.

A operadora de caixa Karla Luiza demonstrou aprovação sobre o momento realizado no restaurante em que trabalha, localizado no Olho d'Água.

"Está sendo essencial porque no trabalho a gente não sabe quando algo assim pode acontecer, e agora estamos preparados. Vou poder usar isso na minha vida, na minha casa", completou a operadora de caixa.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte