Política | Articulações

PV quer candidatura de Adriano Sarney para deputado federal

A O Estado, parlamentar afirmou não descartar, porém, adiar os planos de Câmara dos Deputados para um novo mandato como deputado estadual
Thiago Bastos / O Estado 20/07/2021
PV quer candidatura de Adriano Sarney para deputado federalDeputado estadual Adriano Sarney deverá disputar uma das 18 vagas na Câmara dos Deputados em 2022 (Divulgação)

A direção nacional do Partido Verde (PV) orientou a candidatura do atual deputado estadual e membro do grupo de oposição ao governo maranhense, Adriano Sarney (PV) a uma vaga na Câmara dos Deputados no ano que vem. Porém, a O Estado, o parlamentar admitiu a possibilidade de, além de considerar o encaminhamento da legenda, priorizar uma nova candidatura a uma vaga no Legislativo estadual em 2022.

De acordo com o parlamentar e atual presidente do Partido Verde no estado, a candidatura a uma vaga no parlamento em Brasília depende de fatores, como pensamento no futuro político e, principalmente, nas possíveis mudanças na legislação específica.

“Sobre minha candidatura a estadual ou federal, vai depender da legislação eleitoral e de uma conversa que vou ter com a [Executiva] nacional do partido, que quer minha candidatura a federal”, afirmou Adriano.

Dentre as mudanças em discussão no Congresso e que podem interferir na escolha, está a aplicação para o pleito do ano que vem do sistema conhecido como “distritão puro”. Neste caso, seriam eleitos os mais votados, sem levar em consideração os votos dados aos partidos, como ocorre, por exemplo, no sistema proporcional.

Apesar de manter uma postura proativa quanto à oposição na Casa, diante da ausência de um núcleo mais forte da base de oposição na Assembleia, o deputado estadual cogita novos projetos políticos. Neste contexto, se não houver objeção quanto às alterações na atual legislação eleitoral, a direção do PV deve confirmar a candidatura de Adriano à Câmara dos Deputados.

No entanto, um argumento que pode ir contra às pretensões do parlamentar é a provável candidatura da ex-governadora Roseana Sarney (MDB), que recentemente assumiu a presidência emedebista maranhense. A intenção da sigla foi dar maior poder de articulação à Roseana para construir uma pré-candidatura à Câmara no ano que vem.

Caso a tendência política de Roseana Sarney se confirme e a ex-governadora sinalize de forma ainda mais enfática uma pré-candidatura para a Câmara dos Deputados, o atual deputado estadual Adriano pode ser obrigado a rever os planos e todos traçados conforme o que prevê o Partido Verde, do qual Adriano Sarney não deverá sair. “Sou presidente estadual do PV e nunca cogitei em sair da sigla”, afirmou Adriano.

Atuação

Apesar de compor o grupo de oposição na Assembleia, com governistas ainda sendo a maioria, o deputado Adriano Sarney conseguiu encaminhar pautas em Plenário. A mais recente, no início deste mês, tratou do Projeto de Lei nº178, de 2021, que instituiu a “política estadual de desenvolvimento sustentável da agricultura familiar”.

Mais

Relembre

O deputado Adriano Sarney ingressou na Assembleia em 2014, durante as eleições e conduziu neste período várias discussões contra a atual gestão do governo do Maranhão. Dentre elas, o futuro do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (Fepa). O parlamentar, em diversas intervenções e encaminhamentos de requerimentos solicitando informações ao Executivo estadual, questionou a procedência da fonte de arrecadação do fundo de previdência, além da ausência, segundo ele, de “clareza” do governo em expor o Fepa à sociedade.

“Estamos conversando com os pré-candidatos”

O presidente estadual do PV no Maranhão, Adriano Sarney, disse ainda a O Estado que a sigla conversa, neste momento, com todos os pré-candidatos ao governo do Maranhão, com o objetivo de construir possível aliança. Segundo ele, apesar de diferenças políticas com determinados nomes lançados à mesa, é preciso pensar no bem maior do partido e do estado como um todo.

O partido, segundo o deputado do PV, aguarda o desfecho das conversas entre os núcleos de apoio ao governador Flávio Dino para definir posição mais clara.

De acordo com Adriano, outros fatores pesam na oficialização de abertura de alianças visando 2022. “Sobre as articulações no âmbito estadual, estamos conversando com todos os pretensos candidatos a governadores”, disse.

Um dos motivos é justamente a federalização de partidos, que deve significar uma sobrevida a partidos com menor representatividade nacional. Partidos de esquerda, de centro e até de direita veem a alternativa como uma sobrevida e, neste caso, abre-se também maior campo de possibilidades de alianças.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte