Política | Governadores

Dino defende Pacto Nacional na pandemia

Colegiado assinou carta, publicada ontem, que sugere a criação de um comitê gestor com os Três Poderes para atuar na luta contra a Covid-19
Ronaldo Rocha11/03/2021
Dino defende Pacto Nacional na pandemiaReprodução

SÃO LUÍS - O governador Flávio Dino (PCdoB) integra a lista de chefes de Executivos estaduais que propuseram ontem um Pacto Nacional pela Vida e pela Saúde, com ações todas voltadas para o enfrentamento da Covid-19.

O colegiado apresentou documento à imprensa e sugeriu, dentre outras coisas, a criação de um Comitê Gestor com os Três Poderes, a articulação para aquisição de vacinas e para a melhoria na estrutura hospitalar dos estados.

Flávio Dino já havia anunciado a negociação junto aos demais governadores para o manifesto na segunda-feira, ocasião em que concedeu uma entrevista coletiva por meio das redes sociais.
Na ocasião, ele disse que a intenção seria mobilizar estados e convidar o governo federal a integrar a proposta, para combater de forma mais eficaz a Covid-19.

"21 governadores propõem um Pacto Nacional pela Vida e pela Saúde, a ser coordenado por um Comitê Gestor com os 3 Poderes e os 3 níveis da Federação. Pacto deve abranger: 1) vacinas; 2) medidas preventivas; 3) assistência hospitalar", oficializou o comunista, ao publicar o documento em seu perfil.

Documento - No documento, o colegiado informa que a proposta de formação de estruturação de um pacto nacional foi discutida inicialmente em fevereiro, junto com presidentes da Câmara e do Senado Federal, como forma de reforço no combate ao vírus.

"Reafirmamos tal proposição, que se tornou ainda mais emergencial pelo agravamento da situação sanitária, com terríveis perdas de vidas, além de danos econômicos e sociais. O coronavírus é hoje o maior adversário da nossa nação. Precisamos evitar o total colapso dos sistemas hospitalares em todo o Brasil e melhorar o combate à pandemia. Só assim a nossa pátria poderá encontrar um caminho de crescimento e de geração de empregos", justificam os governadores.

"Assim sendo, os governadores signatários reiteram esse compromisso quanto a um Pacto que abranja itens como: 1) Expansão da vacinação, com pluralidade de fornecedores, mais compras e busca de solidariedade internacional, em face da gravidade da crise brasileira. Sublinhamos que todas as aquisições devem ser distribuídas segundo o marco legal do Plano Nacional de Imunização; 2) Apoio a medidas preventivas, essenciais para conter o vírus. Há limites objetivos à expansão de leitos hospitalares, tendo em vista escassez de insumos e de recursos humanos. [...] 3) Apoio aos estados para manutenção e ampliação de leitos, quando isso for possível", pontua.

Os governadores sugerem também que o Congresso Nacional poderão conduzir o Pacto Nacional. A proposta deve ser analisada agora por todas as instâncias de Poder acionadas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte