Cidades | Campanha de vacinação

Maranhão ainda está abaixo da meta de imunização contra o sarampo

De acordo com boletim epidemiológico foram notificados 14.804 casos de sarampo; estado fica em 10º lugar no número de casos; Pará tem maior número de casos e gera preocupação
Bárbara Lauria / O Estado01/09/2020
Maranhão ainda está abaixo da meta de imunização contra o sarampoPosto volante de vacinação contra o sarampo percorreu terminais de Integração de São Luís (Paulo Soares / O Estado)

São Luís – Boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde, referentes ao mês de agosto, mostra que entre as semanas epidemiológicas 1 a 30 de 2020 (29/12/2019 a 25/07/2020), foram notificados 14.804 casos de sarampo, confirmados 7.293 (49,3%), descartados 6.584 (44,5%) e estão em investigação 927 (6,2%), no Brasil. Até o momento, o Maranhão tem apenas 17 casos e nenhum óbito e, de acordo com o boletim, o estado está em 10º lugar no ranking de casos de sarampo do país. Contudo, a situação do Pará, estado vizinho, traz preocupação e risco de contaminação via fronteira, por já possuir 4.713 casos confirmados e três óbitos, sendo o estado com maior número de casos.

Mesmo com baixo número de casos no estado, o risco de contaminação via Pará se torna maior, devido ao baixo índice de imunização no estado. No Maranhão, a meta é proteger mais de dois milhões de pessoas. De acordo com a Secretária Municipal de Saúde (Semus), desde o início da campanha, no mês de julho, até esta a manhã desta segunda-feira (31), 48.678 doses haviam sido aplicadas, o que representa uma taxa aproximada de 9,1% de cobertura. As doses da vacina estão disponíveis em 52 unidades de saúde da atenção primária e em duas escolas municipais.

O secretário de Estado da Saúde (SES), Carlos Lula, convocou todos os maranhenses a se protegerem dessa enfermidade e afirmou que a vacina é a única forma de estar imune. “Contamos com a participação de todos que estão na faixa etária do público-alvo para que juntos possamos combater a doença em nosso estado”, disse Carlos Lula.

De acordo com a chefe do Departamento de Controle e das Doenças Imunopreveníveis da SES, Halice Figueiredo, a vacina tríplice viral (sarampo + caxumba + rubéola) deverá ser administrada em todos os adultos da faixa etária preconizada, mesmo os que já tomaram a vacina em outra ocasião.

“A vacina deve ser aplicada independentemente da situação vacinal apresentada pelo usuário do SUS. Isto é, mesmo que tenham o seu esquema completo de vacinação devidamente comprovado, estes deverão receber outra dose contra a doença”, orienta.

Prorrogação da vacinação
O Ministério da Saúde informou, na última sexta feira (28), a prorrogação, até o dia 31 de outubro, da Campanha de Vacinação contra o sarampo. A mobilização contra a doença começou em março deste ano e, em todo o país, até o momento, já foram vacinados 5,29 milhões do público-alvo, que são jovens e adultos, entre 20 a 49 anos, ou seja, apenas 5,8% do público-alvo.

A decisão foi tomada devido à prevalência da circulação do vírus em 21 estados do país. Todos da faixa etária do público-alvo, mesmo que já tenham tomado a vacina, deve procurar os postos de saúde próximo da sua residência.

A dose imunizante é disponibilizada de forma gratuita nos postos de saúde. Para ser vacinado, o usuário do SUS deve ter em mãos documento com foto e a carteira de vacinação. Em caso de a pessoa não saber se tomou ou não a vacina, o recomendado é que ela seja administrada da mesma maneira como forma de bloqueio.

Sarampo
O sarampo é uma doença viral, infecciosa aguda, transmissível e extremamente contagiosa. É grave principalmente em crianças menores de cinco anos de idade, pessoas desnutridas e imunodeprimida. Sua transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por via aérea, ao tossir, espirrar, falar ou respirar. O sarampo é tão contagioso que uma pessoa infectada pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes.

A infecção pode, inclusive, servir como porta de entrada para outras doenças. Ao ser contaminado pelo vírus, o organismo tem sua memória imunológica (células capazes de reconhecer esse agente infeccioso) comprometida, fazendo com que o corpo humano não consiga combater a outras infecções graves.

transmissão pode ocorrer entre 4 dias antes e 4 dias após o aparecimento das manchas vermelhas pelo corpo. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina. A doença não possuí tratamento específico e os medicamentos são utilizados para reduzir o desconforto ocasionado pelos sintomas da doença.

SAIBA MAIS

Sintomas

  • De acordo ainda com o Ministério da Saúde, os principais sintomas do sarampo são:
  • Febre acompanhada de tosse;
  • Irritação nos olhos;
  • Nariz escorrendo ou entupido;
  • Mal-estar intenso;
  • Também podem aparecer outros sinais e sintomas, de 3 a 5 dias, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de 5 anos de idade.
Vacinas contra sarampo

  • - Dupla viral - Protege do vírus do sarampo e da rubéola. Pode ser utilizada para o bloqueio vacinal em situação de surto;
  • - Tríplice viral - Protege do vírus do sarampo, caxumba e rubéola;
  • - Tetra viral - Protege do vírus do sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora).
Cuidados na hora de vacinar

Para seguir as orientações de saúde e evitar a propagação do vírus da Covid-19, os funcionários da Semus – em colaboração com os servidores do terminal – estão cuidando da organização de filas para priorizar o distanciamento.

Além disso, apenas usuários com máscaras e, de preferência, com a carteira de vacinação foram protegidos. Nos pontos de vacinação também há álcool em gel para a imunização das mãos dos vacinadores e população adulta que recebeu as doses.

Postos de vacinação

  • Centro de Saúde Dr. Paulo Ramos - Rua do Passeio, 236 – Centro
  • CTA Lira (atendimento específico) - Praça São Roque Lira, S/N – Lira.
  • U.M Itaqui-Bacanga - Avenida dos Portugueses
  • C. S. Clodomir P. Costa - Av. Odilo Costa Filho, S/N – Anjo da Guarda.
  • C. S. Valdecy Eleoteria Martins (Paraíso) - Av. Sarney Filho - Vila Embratel.
  • C. S Yves Parga - BR 135, S/n – Vila Maranhão.
  • C.S. Vila Nova - Praça Raimundo de Sousa Gomes, S/N – Vila Nova.
  • Hospital Aquiles Lisboa - Rua José Sarney, s/n – Bonfim.
  • C.S. da Vila Embratel - Rua 14 S/N – Vila Embratel.
  • C.S. do Gapara - Rua Projetada S/N Gapara.
  • C.S Bairro de Fátima - Rua Ademar de Barros, S/N – Bairro de Fátima.
  • U.M Coroadinho – Rua da Vitória, S/N – Coroadinho.
  • C.S. Dr. Antônio Guanaré - Rua da Vitoria – Coroadinho.
  • U.M. Bequimão - Avenida do Contorno s/n Bequimão.
  • C.S. Amar - Rua Deputado Luís Rocha, S/N – Vicente Fialho.
  • C.S. Radional - Rua G, S/N – Radional.
  • C.S. Vila Lobão - Estrada da Vitória, Nº 8 – Vila Lobão.
  • C.S. João de Deus - Rua Gardênia Ribeiro Gonçalves, S/N – João de Deus.
  • U.M. São Bernardo - Rua São Benedito, Nº 185 – São Bernardo.
  • C.S Santa Bárbara - Rua Principal, Nº 180 – Santa Bárbara.
  • PS Coquilho - Avenida Principal 10 A, 10 - Vila Coquilho.
  • C.S. Drª Nazaré Neiva - Rua 15, Nº 01 – São Raimundo
  • USF Maria Ayrecila II - Rua 16, Qd 82, Bloco C, S/N – Cidade Olímpica.
  • USF Jailson Alves III - Rua 7, Qd 83, Casa 1 – Cidade Olímpica.
  • USF Santa Clara - Rua Lucy Sarney, S/N – Santa Clara.
  • USF Santa Efigênia - Rua Tancredo Neves, S/N – Santa Efigênia.
  • USF Pirapora - Rua 3, Qd B, S/N – Tirirical.
  • C.S. Vila Janaina - R. da Saudade, 148 - Cidade Operária.
  • UBS Dr. Expedito Alves de Melo – Av. 4, Qd 36, Casa 11 – Cidade Olímpica.
  • C.S Cohab - Anil - Rua 04, S/N – IV Conj. Cohab – Anil.
  • C.S Salomão Fiquene - Av. Leste Oeste, S/N – Cohatrac.
  • C.S Djalma Marques - Av. Celso Coutinho, S/N – Ipem Turu.
  • CTA Anil (atendimento especifico) - Av. São Sebastião, S/N – Anil.
  • C.S. Itapera - Rua Principal, Nº 31 – Itapera.
  • C.S. Quebra Pote - Praça do Cemitério, S/N – Quebra Pote.
  • C.S. Pedrinhas I - BR 135, Km 12, Nº 26 – Pedrinhas.
  • C.S. Pedrinhas II - Rua da União, S/N – Pedrinhas.
  • C.S. Tibiri - Rua Santo Antônio, S/N – Tibiri.
  • C.S. Maracanã - Estrada da Vitória, S/N – Maracanã.
  • USF Coqueiro - Rua da Vitória, S/N – Coqueiro.
  • C.S. Mª de Lourdes Rodrigues (Rio Grande) - Rua Bom Jardim, 385- Rio Grande.
  • C.S Vila Itamar - Rua do Fio, S/N – Vila Itamar.
  • Unidade de Saúde da Família Vila Sarney, km 7, BR-135
  • CS Fabiciana de Moraes - Rua 3, Qd 7, s/n – Habitat Nice Lobão
  • CS Laura Vasconcelos - BR-135, Km, 23, s/n, Vila Maranhão, Região da Estiva
  • CS São Raimundo - Vila Mauro Fecury, s/n – São Raimundo
  • CS Turu - Avenida 07, S/N, Conj. Hab – Turu
  • USF São Francisco - Rua das Paparaúbas, quadra 13, lote 31, são Francisco
  • CS Liberdade - Rua Epitácio Pessoa, 323 – Liberdade
  • CS Genésio Ramos Filho - Rua 13, s/n - Cohab Anil
  • CS Carlos Macieira - Avenida dos Africanos, s/n – Sacavém
  • CEM Cidade Operária (funciona dentro da UPA Cidade Operária) - Avenida Principal, Cidade Operária
Escolas

  • UEB Felipe Conduru - Avenida Guajajaras, 115.
  • UEB Frederico Chaves - Rua Presidente Dutra, São Francisco
  • Escola Militar Tiradentes – Rua Gabriela Mistral – Vila Palmeira

NÚMEROS

14.804 casos de sarampo foram notificados no mês de agosto no Brasil;
7.293 casos foram confirmados no mês de agosto no Brasil;
5,8% da meta foi atingida em todo país
48.678 pessoas foram imunizadas no Maranhão até o mês de agosto.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte