Estado Maior

São Luís vai perder

12/12/2019

São Luís é um patrimônio cultural da humanidade, título outorgado pela UNESCO. E talvez, não teve gestora que mais se dedicou a manter este título do que Kátia Bogéa. Por quase 18 anos, ela se dedicou a preservação do Patrimônio Histórico e Artístico Mundial.

Destes 18 anos, 13 foram em São Luís quando comandava a superintendência do Iphan no estado. E mesmo depois de deixar o comando do órgão no Maranhão, ainda sim trabalhou para viabilizar projetos como os mais recentes: rua Grande e complexo Deodoro.

Na lista das ações comandadas por Bogéa estão praça do Pescador, reforma dos teatros Arthur Azevedo e João do Vale, do Cine Rox, que se tornou o Teatro Municipal, da Fábrica Santa Amélia, do Palacete Cristo Rei, além de manter em pé cerca de 42 casarões.

A estas obras se somam outras feitas em Imperatriz, Rosário e Alcântara, sendo esta última cidade um foco na gestão de Kátia Bogéa.

Se sair da área da infraestrutura e partindo para o simbolismo da cultura popular, foi no comando dela que o Maranhão viu o tambor de crioula e o bumba meu boi se tornarem patrimônio cultural brasileiro.

E quis o destino (leia-se jogos políticos) que o dia em que o bumba meu boi do Maranhão se tornou patrimônio cultural do mundo fosse o mesmo em que Bogéa acabou exonerada do cargo que vinha à frente desde 2015.

Nesta matemática do que foi feito, do que deveria ter saído do papel, do que já estava confirmado para ser feito pelo Iphan, com toda a certeza, São Luís perdeu com a mudança de comando no Instituto.

Agora é torcer para que a próxima comandante do instituto mantenha uma linha de preservar as cidades históricas brasileiras reconhecidas no mundo todo.


Sem atenção

À coluna, a agora ex-superintende nacional do Iphan, Kátia Bogéa, fez um rápido raio-X sobre a questão do Centro Histórico de São Luís.

Segundo ela, ao fazer o levantamento das ações do Iphan na capital, o Centro Histórico teve atenção somente até os governos de Roseana Sarney.

Antes dela, somente Epitácio Cafeteira se dedicou com o seu projeto “Reviver”. Depois de Roseana, segundo Bogéa, não teve mais atenção alguma.


Solidariedade

O prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT), mesmo de férias, emitiu nota lamentando a saída de Katia Bogéa do comando do Iphan.

Segundo o pedetista, São Luís perde com a exoneração da “competente profissional”.

“São Luís perde com a saída de Kátia Bogéa da Presidência do Iphan. Externo a essa competente profissional minha solidariedade, gratidão e amizade. Durante sua trajetória à frente do órgão, nossa cidade teve conquistas importantes para a recuperação do nosso patrimônio histórico”, disse o prefeito.


Sem atuação

Pegando carona na crítica da ex-presidente nacional do Iphan, do atual governo o Centro Histórico de São Luís recebeu somente o lançamento do projeto “Nosso Centro”.

Tal iniciativa do Palácio dos Leões, que é baseada mais de 50% em obras do Iphan, é direcionada para alavancar a candidatura do secretário de Cidades, Rubens Júnior (PCdoB), para Prefeitura em 2020.

De grandioso mesmo, a atuação do Governo do Estado na Praia Grande se destaca pela instalação de bandeirolas decorativas, perfeitas para fazer selfies.


Posse

Foram empossados ontem os membros da mesa diretora do Tribunal de Justiça do Maranhão que ficará no comando do Poder Judiciário do Estado até abril de 2020.

Reassumiram em um mandato tampão o presidente José Joaquim Figueiredo, o vice-presidente Lourival Serejo e o corregedor geral de Justiça, Marcelo Carvalho.

O mandato tampão ocorre em consequência de mudança do regimento interno do TJ ocorrido no início deste ano.

Nova eleição

Os desembargadores da Corte Estadual se reunirão na próxima quarta-feira, 20, para escolher a nova mesa diretora do TJ para maio do próximo ano.

Por enquanto, na disputa pela presidência estão Nelma Sarney e Lourival Serejo. A primeira tenta pela segunda vez assumir o comando do TJ no estado.

Nos bastidores, se comenta que uma nova candidatura pode surgir. O desembargador Paulo Velten conversa com os colegas para verificar se consegue se viabilizar. Por enquanto, tudo não passa de especulações.


De olho

R$ 11 milhões foi o valor total da obra do Complexo Deodoro e da Rua Grande que foi possível graças a atuação de Kátia Bogéa no Iphan.


Homenagem

Hoje acontecerá, as 19h30, a missa de sétimo dia do empresário Hélio Viana. Ele foi vítima de um câncer. A missa acontecerá na Igreja do Calhau.

Hélio Viana tinha um posto de combustível no São Francisco com seu nome há mais de 40 anos.

Ele foi o responsável por transformar a Associação dos empresário da área em Sindicato dos Empresários de Postos de combustíveis do Maranhão.


E mais

Antes de perder a luta contra o câncer, Hélio Viana publicou o livro “Radioamador, maçonaria e outras histórias”, que conta um pouco de sua trajetória pessoal e profissional.

O deputado Estadual Adriano Sarney (PV) teve suas emendas participativas aprovadas ontem na votação da peça orçamentária de 2020.

Adriano inovou de lançou o projeto para buscar sugestões da sociedade para a indicação das emendas dele.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte