Estado Maior

Afronta apenas

09/12/2019

O governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB), mandou espalhar a notícia de que seu governo está na briga para ficar com a gestão do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

Um dos principais pontos turístico do Maranhão, o território é federal e recentemente foi incluído em uma lista de localidades que serão privatizadas pelo governo de Jair Bolsonaro que inclui ainda os parques nacionais de Jericoacoara (CE) e Iguaçu (PR).

Dino jura que dá conta do serviço.

Na verdade, o comunista quer apenas mais um motivo para afrontar o presidente da República. Algo no qual tem-se especializado nos últimos meses, de olho numa projeção nacional que mantenha vivo o sonho de ser candidato a presidente em 2022.

Tudo indica ser nada mais do que isso.


Atentado

Repercutiu fortemente na imprensa nacional a notícia do atentado que culminou com dois índios mortos no Maranhão.

Ao que tudo indica, os indígenas foram alvo de uma emboscada quando estavam às margens da BR-226, entre Grajáu e Barra do Corda, na conhecida reserva Canabrava.

Homens em um carro branco passaram atirando, matando dois e deixando, ainda, outros quatro feridos.


Reação

Nas redes sociais, o ministro da Justiça, Sergio Moro, lamentou o ocorrido e anunciou o pronto acionamento da Funai.

- Assim que soube dos tiros, a Funai foi até a aldeia tomar providências, junto com as autoridades do governo do Maranhão -, escreveu, no Twitter.

Ele também disse que o governo federal avalia a possibilidade de convocar homens da Força Nacional para reforçar a segurança na área.


Crítica

Apesar da pronta resposta do ministro Sergio Moro, o secretário de Direitos Humanos do Maranhão, Chico Gonçalves (PT), reclamou da atuação federal no caso.

- Ministro, não basta lamentar; é preciso combater o crime organizado que age impunemente nos territórios indígenas e aparelhar a Funai para que cumpra suas funções -, disse, também nas redes.

Curiosamente, o próprio petista esclareceu que “logo após o atentado, a equipe da Funai chegou ao local”. Dá pra entender?


Licença

O vice-prefeito de São Luís, Júlio Pinheiro (PCdoB), assumiu o comando da Prefeitura no sábado (7) e permanece no cargo até o fim desta semana.

Ele substitui o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), que fez uma viagem de caráter pessoal com a esposa, Camila Holanda, a Israel.

Esta é a primeira vez, desde que tomou posse, em 2013, que o pedetista se afasta das funções públicas e viaja para fora do país.


Investigado

O juiz Sidarta Gautama, com atuação em Caxias, é alvo de Procedimento Investigatório Criminal aberto pelo Gaeco por suposta participação em organização que pratica agiotagem.

A informação consta de um pedido de providências formulado pela da Corregedoria Nacional de Justiça, órgão ligado ao CNJ, ao Tribunal de Justiça do Maranhão.

Gautama ganhou recente notoriedade no caso de uma série de decisões autorizando a transferência de alunos de universidades particulares para o curso de Medicina da Uema.


De olho

73 municípios serão beneficiados após a instalação de uma segunda Superintendência da Caixa Econômica Federal (CEF) no Maranhão; a sede fica em Imperatriz.


Novo membro

O presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador Joaquim Figueiredo, empossou, nesta sexta-feira (6), o juiz de Direito substituto, Humberto Alves Júnior.

Na solenidade, ele destacou o esforço empreendido desde o início de sua gestão para que fossem nomeados todos os novos juízes, mesmo com as limitações financeiras impostas.

- Parabenizo o juiz Humberto Alves Júnior pela posse no cargo de juiz. Que Deus o abençoe no exercício da função de fazer Justiça -, assinalou.


E mais

Estava bem à vontade na festa de 50 anos de jornalismo do colunista PH o presidente da Assembleia, deputado Othelino Neto (PCdoB); sentiu-se em casa.

Louvável o empenho do deputado estadual Fábio Macedo (PDT) pela causa da saúde mental no Maranhão.

O CNJ determinou que juiz Marco Antônio Teixeira anule ato que delimitou horário para atendimento a advogados na 5ª Vara da Fazenda Pública de São Luís.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte