Estado Maior | COLUNA

Debate antecipado

19/11/2019

O surgimento de uma nova “pesquisa” - agora favorável à senadora Eliziane Gama (Cidadania) - e a consequente reação da própria parlamentar, admitindo “recomeçar” suas articulações já de olho em 2022 dão bem o tom de como andam as coisas no grupo do governador Flávio Dino (PCdoB).
Ou de como não andam.
Focado numa candidatura a presidente da República, ou apenas em algum protagonismo nacional, o comunista tem antecipado o quanto pode um debate sucessório que deveria começar apenas após as eleições municipais de 2020.
Por outro lado, acaba deixando desgarradas suas “ovelhas” no Maranhão.
E, agora, vê seu grupo - que já tinha em plena campanha com dois pré-candidatos a governador: o senador Weverton Rocha (PDT) e o vice-governador, Carlos Brandão (PRB) - com mais uma pretensa candidata ao posto que ele hoje ocupa.
Todo mundo colocando a carroça na frente dos bois, para ocupar um espaço que Dino vem deixando aberto em virtude dos seus anseios nacionais.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte