Estado Maior

Ainda restam dúvidas

28/01/2019

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) arquivou denúncia de nepotismo contra o procurador-geral de Justiça do Maranhão, Luiz Gonzaga Coelho, pela nomeação da esposa de um sobrinha para o cargo comissionado no Ministério Público do Maranhão.
Gonzaga Coelho foi denunciado pelo advogado Otávio Batista Arantes de Mello pela nomeação da servidora Amaurijanny Gonçalves Coelho para o cargo de chefe de Seção de Execução Orçamentária, símbolo CC-05, da PGJ, que, segunda a denúncia, é um posto de ordenador de despesas com submissão direta ao chefe do MP.
A denúncia não surtiu efeito, entretanto, as dúvidas ainda permanecem. Explica-se: o autor do despacho pelo arquivamento da reclamação formulada contra o procurador-geral, o corregedor nacional do Ministério Público, Orlando Rochadel Moreira, foi homenageado no ano passado pelo Colégio de Procuradores de Justiça do Ministério Público do Maranhão.
Em maio, recebeu das mãos de Gonzaga Coelho a Medalha de Mérito Celso Magalhães, maior honraria concedida pelo MP maranhense.
Diante de tal homenagem, fica a dúvida quanto a proximidade entre os procuradores e o quanto isto poderia influenciar na decisão do Conselho Nacional do Ministério Público.
Diante de mais esta dúvida, será que o chefe do MP do Maranhão conseguirá se explicar ou resumirá tudo a mais uma coincidência?

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte