Editorial

Lixo e chuva não combinam

11/01/2019

Há coisas que não combinam. Lixo e chuva são algumas delas. Se as ruas estiverem cheias de lixo e houver chuva, o lixo acaba sendo arrastado para os bueiros e galerias, que ficam entupidos. Sem ter para onde escoar, a água da chuva fica acumulada e alaga aquela localidade. Por isso a importância de ter consciência e não jogar lixo nas ruas. Parece uma coisa óbvia, e é, mas ainda tem gente que insiste em jogar seu lixo na rua de qualquer jeito e reclamar do poder público, quando os problemas aparecem.
Claro que todos somos cidadãos e que o poder público tem uma série de responsabilidades a cumprir conosco, mas a vida em sociedade não é feita só de direitos. Ela também inclui deveres. Se eu não faço a minha parte, como posso simplesmente cobrar que o outro faça a sua ainda mais tendo que resolver um problema que eu criei?
Para entendermos a nossa responsabilidade em manter uma cidade limpa, podemos comparar a cidade com a nossa casa. Ninguém gosta de ver sua casa suja e desarrumada, não é mesmo? Pior ainda é chegar alguém de fora e bagunçar tudo, certo? E por quê? Porque somos nós que teremos que limpar tudo, pois, se não limparmos, vai sobrar para nós a barra de ter de lidar com todos os problemas decorrentes da sujeira acumulada em nossa casa.
Com a nossa cidade, acontece o mesmo. São Luís é a casa comum de mais de um milhão de habitantes e, sim, nós somos os responsáveis por mantê-la limpa e organizada. “Ah, mas eu pago impostos e blá blá blá...”. Mais um motivo para manter a cidade limpa. Você já parou para pensar quantas vezes a Prefeitura precisa limpar o mesmo lugar? E você já parou para pensar que cada vez que ela volta ao mesmo lugar para retirar o lixo deixado ali é uma nova despesa para os cofres públicos? Você acaba pagando impostos para que algo seja refeito à exaustão.
Voltando a nossa casa. Se eu faço uma reforma, eu vou cuidar. Afinal, ninguém tem dinheiro sobrando para fazer uma nova reforma a cada mês, não é? O poder público também não tem dinheiro sobrando. Cada vez que a Prefeitura precisa limpar novamente o mesmo lugar, ela está desperdiçando dinheiro que poderia ser investido em outra área. E cada vez que uma pessoa joga lixo na rua, está desperdiçando o dinheiro do seu imposto.
Não jogar lixo na rua deveria ser uma atitude comum de respeito e cidadania, mas é como diz o ditado: o brasileiro só aprende quando dói no bolso. Pois a partir de agora toda vez que você pensar em jogar um sofá sem uso, uma TV quebrada ou aquele resto de entulho em um terreno baldio, lembre-se que ao fazer isso você está jogando o seu dinheiro no lixo. Antes de bradar “Eu pago os meus impostos!”, pergunte-se o que você faz para que seus impostos sejam bem aplicados em benefício da comunidade.
Vamos fazer a nossa parte e entender que cuidar da cidade é uma responsabilidade compartilhada. Cuide corretamente do seu lixo. Seja um fiscal da sua rua e denuncie os casos de descarte irregular. Em todo tempo devemos ter consciência sobre não jogar lixo nas ruas. É preciso bastante consciência e responsabilidade para manter a cidade limpa e livre de transtornos causados pelo lixo.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte