Geral | Mobilidade

Ausência de ciclovias representa perigo a quem utiliza bicicleta em São Luís

São Luís é a capital brasileira com o pior índice de malha cicloviária por habitante, de acordo com levantamento
Monalisa Benavenuto26/12/2018 às 07h00
Ausência de ciclovias representa perigo a quem utiliza bicicleta em São LuísBiaman Prado

De acordo com um levantamento realizado pelo portal G1 e a Globo News, divulgado em agosto, São Luís é a capital brasileira com o pior índice de malha cicloviária por habitante. A realidade, facilmente verificada nas grandes avenidas da cidade, limita a utilização da bicicleta como meio de transporte e oferece perigos àqueles que se arriscam. Para minimizar o perigo, ciclistas criam grupos para se locomoverem pelas vias.

A bicicleta está sempre na rotina do servente de pedreiro Carlos Belfort, seja a trabalho ou a lazer, é esse o meio de transporte utilizado por ele. “Eu uso a bicicleta para
praticamente tudo. É mais rápido porque não fico esperando e nem preso em engarrafamento”, destacou. Mas, em São Luís, pode ser uma alternativa perigosa. “A nossa preocupação são os acidentes, porque diariamente a gente vê nos jornais os casos de atropelamentos, então é preciso dobrar o cuidado”.

O perigo citado pelo servente, justifica-se, principalmente, na falta de ciclovias. De acordo com o levantamento realizado pelo G1 e Globo News junto a 26 prefeituras do país, São Luís ocupa a penúltima posição em número de ciclovias entre as capitais brasileiras, com apenas 18 km de vias destinadas às bicicletas. A situação torna-se ainda pior quando analisada a proporcionalidade em relação à população, titulando a capital maranhense como última colocada em índice de malha cicloviária, com 60.659 pessoas para cada quilômetro de via especializada.

Buscando driblar os perigos oferecidos pela ausência de vias destinadas aos ciclistas, amantes da “magrela”, como é conhecida a bicicleta, organizam-se em grupos para se
deslocarem entre as ruas da cidade. A estudante Lays Cardoso e mais sete amigos que optaram por essa dinâmica, sentem falta de uma estrutura adequada. “Apesar de não
utilizarmos a bicicleta como meio de transporte principal, podemos identificar a necessidade de ciclovias em São Luís, que, se comparada cidades do Nordeste mesmo, deixa muito a desejar”, ressaltou.

A implantação de malha cicloviária é essencial para a população e para o desenvolvimento da cidade, como apontou o coordenador do Observatório do Trânsito no
Maranhão, Francisco de Assis. “Não é racional que todos os recursos da cidade sejam voltados para o veículo motorizado e seu condutor. O ideal seria priorizar os pedestres, assim como ciclistas, com implantação de faixas transitáveis que incentivassem o uso de bicicletas”, frisou. Segundo ele, investimentos como esses podem gerar consequências positivas como a redução de congestionamentos e superlotação do transporte público.

Sobre a problemática, a Secretária Municipal de Planejamento e Desenvolvimento disse, por meio de nota, que um projeto, em parceria com o Ministério das Cidades, para, entre outras ações de infraestrutura urbana, implantar mais ciclovias e ciclofaixas na capital.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte