Economia | Levantamento IBGE

De 10 cidades com menor PIB per capita, seis são do MA

Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) os municípios maranhenses que integram essa lista são Nina Rodrigues, Penalva, Santana do Maranhão, Cajapió, Satubinha e Matões do Norte
15/12/2018
De 10 cidades com menor PIB per capita, seis são do MAPIB

Das 10 cidades com menor per capita no Brasil, seis são do Maranhão, segundo levantamento divulgado na sexta-feira, 14, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com destaque para o município de Nina Rodrigues (R$ 4.282), que é o segundo colocado, perdendo apenas para a cidade baiana de Novo Triunfo (R$ 3.190).
Os outros municípios maranhenses que estão no top 10 de menor PIB per capita no Brasil são Penalva (R$ 4.530), Santana do Maranhão (R$ 4.586), Cajapió (R$ 4.689), Satubinha (R$ 4.766) e Matões do Norte (R$ 4.803).
Esses e outros municípios maranhenses integram a lista de 571 cidades que possuem os menores PIBs per capita (todos acima da posição 5.000 no ranking). E de acordo com o IBGE, dois destes municípios, não tiveram a administração, defesa, educação e saúde públicas e seguridade social como principal atividade econômica. São eles: Bar­ra do Corda e Paço do Lumiar, am­bos no Maranhão.
Já os cinco maiores PIB per capita no Maranhão correspondem aos municípios de Santo Antônio dos Lopes (R$ 89.607,91), Tasso Fragoso (R$ 58.403,77), Davinópolis (R$ 56.655,59), Imperatriz (R$ 27.482,99) e São Luís (R$ 26.154,25). Segundo análise do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), no caso do Davinópolis, houve um aumento expressivo do PIB per capita nesse período devido ao crescimento significativo no Valor Adcionado (VA) da atividade Comércio.
Entre as capitais, a primeira posição ficou com Brasília, com PIB per capita de R$ 79,1 mil por pessoa. Em último lugar aparece Macapá, com R$ 19,9 mil. Dentre as 27 Unidades da Federação, oito registraram PIB per capita maior que o do Brasil em 2016, enquanto os outros 19 ficaram abaixo do nacional.
Os números do IBGE confirmam ainda que apenas seis dos 217 municípios maranhenses - São Luís, Imperatriz, Balsas, Açailândia, São José de Ribamar e Caxias - concentram 50,72% da economia do estado. A capital, com 33,21% de participação do PIB do estado em 2016, ocupa o 1° lugar no ranking, tendo como destaque em sua composição, as participações dos segmentos de serviços (76,0%), indústria (23,9%) e agropecuária (0,1%).

Análise do Imesc
A análise do Imesc acerca dos dados do IBGE mostra que o resultado do setor primário no Maranhão, em 2016, foi de queda acentuada em relação ao ano anterior (-29,3%). Contudo, segundo o órgão, existem produtos com peso relevante na agricultura do estado que não sofreram de forma expressiva com a estiagem, como por exemplo, a cana-de-açúcar e a mandioca.
No tocante à indústria, as cinco maiores participações no total do Estado são: São Luís (41,99%), Imperatriz (14,15%), Santo Antônio dos Lopes (8,02%), Açailândia (3,71%) e Estreito (2,47%). Juntos, estes cinco municípios respondem por cerca de 70,35% do total do setor secundário no estado.
No setor terciário, que representa mais de 70% do total do VA do Estado, os municípios que mais se destacam são: São Luís (31,11%), Imperatriz (7,58%), Balsas (2,76%), São José de Ribamar (2,65%) e Caxias (2,29%). Juntos, estes municípios representam cerca de 46,39% do VA dos Serviços no estado.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte