Cidades | Sem consciência

Valas abertas e com lixo contribuem para proliferar doenças

Estruturas, que deveriam auxiliar o saneamento básico da cidade, são berço para o aparecimento de mosquitos transmissores de diversas doenças
Thiago Bastos / O Estado14/09/2018

A falta de conscientização da população e o descaso do poder público contribuem para a situação grave das valas da Macaúba e do Coroado. Com lixo acumulado, as estruturas, que deveriam ser ferramentas de auxílio para o saneamento básico da cidade, se tornam berço para o aparecimento de mosquitos transmissores de doenças, em especial a dengue, zika e a febre chikungunya. Somente no primeiro semestre deste ano, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), foram notificados 540 casos de dengue na capital maranhense, devido ao mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti, que costuma ser atraído por água acumulada existente nas valas e nos seus arredores.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte