Cidades | Feriado sem viagem

Ferry-boat tem baixa procura neste feriado

Fato se deu porque muita gente volta ao trabalho na sexta-feira, normalmente, e por causa do impasse da paralisação dos caminhoneiros
Daniel Júnior / O Estado31/05/2018

Foi baixa a procura por viagens de ferry-boat para aproveitar em outras cidades o feriado de Corpus Christi, celebrado hoje. O fato se deu porque muita gente volta ao trabalho na sexta-feira, normalmente, e também por causa do impasse ocasionado pela paralisação dos caminhoneiros, de acordo com a administração do meio de transporte marítimo. O ferry-boat é uma opção muito utilizada por quem deseja viajar para cidades da baixada maranhense, como Pinheiro, São Bento e Arari.

“Já era de se esperar que a procura por viagens de ferry-boat seria baixa. O feriado caiu numa quinta-feira, e muitos trabalhadores voltam às atividades na sexta-feira, normalmente. Sabemos que funcionários de repartições públicas folgam hoje e só voltam segunda-feira, mas não são a maioria dos trabalhadores. A paralisação dos caminhoneiros também causou isso.

Muita gente vai preferir ficar aqui na capital para se organizar e abastecer seu veículo. A expectativa é de movimentação tranquila neste feriado”, explicou Glauco Vaz, gerente de terminais externos da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP). O Estado constatou, durante a manhã de ontem, que era tranquila a movimentação de passageiros no Terminal da Ponta da Espera, em São Luís.

Rodovias
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Maranhão informou que haverá uma operação durante o feriado de Corpus Christi, mas de uma forma branda, pois a maioria do efetivo está empenhada na paralisação dos caminhoneiros, que ainda ocorre no estado.

SAIBA MAIS

O Corpus Christi é um feriado facultativo comemorado pela religião Católica, anualmente, 60 dias depois da Páscoa, sempre na quinta-feira seguinte ao Domingo da Santíssima Trindade (domingo seguinte ao Domingo de Pentecostes).

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte