Política | Aluguel Camarada

Dino mostra contrato de governos aliados para justificar aluguel camarada

Governador apresentou contratos do governo de Zé Reinaldo Tavares e de Jackson Lago com a Clínica Eldorado para justificar o contrato firmado com a mesma clínica no governo comunista
Carla Lima/Subeditora de Política17/08/2017 às 11h28
Dino mostra contrato de governos aliados para justificar aluguel camaradaFlávio Dino postou nas redes sociais contratos de governos passados para justificar contrato feito na gestão dele com a clínica Eldorado (Divulgação)

Diante do escândalo de pagar R$ 1 milhão em aluguel do prédio da Clínica Eldorado sem que tenha havia qualquer atendimento, o governador Flávio Dino (PCdoB) tenta justificar a situação afirmando que em outros governos, também foi firmado contrato com a mesma clínica. Os exemplos usados pelo governador são da época da gestão de Zé Reinaldo Tavares (sem partido) e Jackson Lago.

Nas redes sociais, Flávio Dino postou dois contratos firmados entre o governo do Maranhão e a Clínica Eldorado. Um dada de 2005, quando o comando do estado era de Zé Reinaldo Tavares, considerado aliado de primeira linha de Dino e posto como responsável pela eleição do comunista em 2006 para deputado federal. Na época dele, o contrato foi de prestação de serviço, ou seja, a clínica fazia atendimento a pacientes e recebia do governo estadual pelo serviço prestado.

Outro contrato postado nas redes pelo governador dada de 2009 e foi usado pelo comunista como sendo firmando pelo então secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad.

Entretanto, o contrato mostrado pelo governador trata-se de um aditivo a outro contrato do governo com a Clínica Eldorado firmado pelo governador Jackson Lago. Isso significa que valores a serem pagos e condições de prestação de serviço constavam no contrato original.

A diferença entre os dois contratos mostrados pelo governador e o atual contrato do governo comunista é que na gestão de agora o governo alugou o prédio, paga R$ 90 mil por mês e durante um ano, pagando esse valor, a clínica não funcionou para atendimento do público.

Outra diferença é que o governo estadual está pagando pela reforma do prédio e, ao contrário do que diz a Secretaria Estadual de Saúde (SES), as benfeitorias que estão sendo feitas não serão indenizáveis conforme previsto no contrato.

Existe mais uma diferença: não consta que nos governos de Jackson Lago ou de Zé Reinaldo, parentes dos donos da clínica tinham cargo na administração estadual. No caso de Flávio Dino, os donos da clínica são parentes de uma das assessoras jurídicas da SES.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte