Cidades | Desapropriação de terra

Moradores reclamam de abuso de autoridade da Blitz Urbana

Populares da Vila Isabel afirmam que homens da Prefeitura de São Luís demoliram duas casas sem apresentar nenhuma documentação
31/07/2017 às 15h41
Duas famílias foram despejadas durante a ação da Blitz Urbana

SÃO LUÍS – Moradores da Vila Isabel, comunidade que fica na região da Vila Embratel (área Itaqui-Bacanga), reclamam de abuso de autoridade de homens da Blitz Urbana em uma ação de desapropriação de terra na localidade. Na ação, que foi realizada no fim da manhã desta segunda-feira (31), duas casas foram demolidas e as famílias despejadas. Moradores afirmam que a Prefeitura de São Luís alega ser dona do terreno onde foram construídas cinco casas, porém eles ressaltam que existe um processo na Justiça, que ainda não teve nenhuma decisão favorável ao executivo municipal. Segundo os populares, mas três casas devem ser demolidas nas próximas horas.

Os populares afirmam que homens da Blitz Urbana usaram de força excessiva e não apresentaram nenhuma documentação para justificar o despejo das famílias e a demolição das casas. “Nós já checamos no fórum e não houve nenhuma movimentação no processo. Tem uma disputa judicial e não tem decisão. Eles não poderiam jogar as coisas dessas famílias na rua”, disse uma moradora, que preferiu não se identificar.

Duas casas foram demolidas durante a ação

Durante a ação, móveis, fogão, geladeiras, camas e roupas das famílias foram colocados na rua. “A prefeitura alega que é dona do terreno e que construirá uma creche, mas nunca fez nada. Aqui era um terreno baldio, usado apenas por usuários de drogas”, comentou a moradora.

No local que teria sido invadido, foram construídas cinco casas, que estão sendo habitadas há cerca de sete anos. A equipe de OEstadoMA.com entrou em contato com a Prefeitura de São Luís e aguarda resposta.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte