Cidades | Balneabilidade

Pontos próprios ao banho na orla estão cada vez mais reduzidos

Em novembro, havia 21 locais próprios para banho, segundo relatório de balneabilidade divulgado pela Sema; hoje, são apenas 12; de acordo com especialista, para que praias estejam próprias é preciso que as ETEs funcionem 100%
28/12/2016
Pontos próprios ao banho na orla estão cada vez mais reduzidosTrecho impróprio para banho sinalizado na Praia da Ponta d’Areia, uma das atingidas por escoamento de esgoto (Flora Dolores / O ESTADO)

O último laudo divulgado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) sobre as condições de balneabilidade das praias, em 23 de dezembro (sexta-feira) mostrava que apenas 12 dos 21 pontos monitorados semanalmente pela equipe de pesquisadores da secretaria estavam aptos para o banho. Há quase dois meses, em 4 de novembro, todos os 21 pontos estavam aptos. De lá pra cá, esse número só tem diminuído.

De acordo com a professora Edileia Dutra Pereira, pós-doutora em Geologia, pela Universidade de Wageningen na Holanda e pesquisadora nas áreas de hidrogeologia e qualidade do solo e da água, essa queda no número de áreas próprias para o banho já era esperada nesta época do ano por causa das chuvas que aumentaram o escoamento superficial e o aumento da vazão dos rios Anil e Bacanga e de rios menores, como o Pimenta, Claro e Calhau que escorrem diretamente para as praias.

A pesquisadora ressaltou o trabalho da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) ao retirar alguns pontos de esgoto que caiam diretamente nas praias, mas somente com essa ação não será possível afirmar que existe uma despoluição completa da região litorânea já que é necessário que todas as estações de tratamento de esgoto (ETEs) estejam funcionando com 100% de sua capacidade. Hoje, a mais nova estação, a do Vinhais, ainda opera em regime de teste, com apenas 30% de seu limite.

“Destaca-se a urgência do tratamento de esgoto na cidade de São Luís com a ativação em 100% das Estações de Tratamento do Bacanga, Vinhais e Jacarati. E estamos aguardando a ETE Anil para melhorar as condições sanitárias da orla marítima. Enquanto isso não ocorrer é muito provável termos a alternância da qualidade da água ora própria ora imprópria”, analisou a professora.

Laudo

O Governo do Estado divulgou o último laudo semanal de balneabilidade na sexta-feira,23. O levantamento foi realizado entre os dias 14 e 18 deste mês, período em que pancadas de chuvas caíram na capital, e mostrou 12 dos 21 pontos monitorados com níveis de balneabilidade aceitáveis.

As regiões impróprias para o banho concentravam-se nas praias de São Marcos (em frente ao Ipem e na Foz do Rio Calhau), Praia do Meio (em frente ao Bar do Capiau), Araçagi (em frente ao bar do Isaac) e Ponta d’Areia (atrás do Hotel Praia Mar, atrás do Bar do Dodô, em frente à Praça de Apoio ao Banhista, em frente ao Edifício Herbene Regadas, em frente ao Hotel Brisa Mar).

“O lançamento de esgoto oriundos dos empreendimentos ao redor da orla dificulta o nosso trabalho. E esse lançamento está tornando algumas praias impróprias. Por isso, a Sema está atuando firme, fiscalizando esses locais e tomando as providências cabíveis para que seja solucionado esse problema”, informou o secretário de Meio Ambiente, Marcelo Coelho.

O presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão, Davi Telles, afirmou que em se tratando de uma semana com índices pluviométricos altos, o resultado não foi ruim.

Evolução das balneabilidade das praias

04/11 – 21 pontos próprios

22/11 - 20 pontos próprios

11/12 - 14 pontos próprios

07/12 - 16 pontos próprios

16/12 - 16 pontos próprios

23/12 - 12 pontos próprios

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte