Cidades | Boa notícia

Após campanha, Ravi consegue medula óssea 100% compatível

Menino, que completa 4 meses amanhã, deve fazer o transplante no início de janeiro, em outro estado
28/12/2016 às 11h54

Foram quase quatro meses de intensa campanha em busca de uma medula, até que esta semana finalmente foi encontrada uma 100% compatível para o pequeno Ravi. Até o início de janeiro o transplante deve ser realizado.

De acordo com as estatísticas, a chance de se encontrar um doador 100% é de uma a cada 100 mil pessoas.

Ravi, que completa 4 meses de vida amanhã, nasceu com a síndrome da imunodeficiência combinada grave (SCID), doença que ataca o sistema imunológico da criança, tem taxa de óbito de até 80%, e pode ser tratada com um transplante de medula óssea, ou de sangue do cordão umbilical.

No Maranhão, até o momento, apenas ele e seu irmão, Davi,que faleceu há dois anos, foram diagnosticados com a doença.

Quando iniciaram a campanha em busca de uma medula compatível para o filho, os pais de Ravi se engajaram para orientar que as pessoas façam o cadastro no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

Naquela ocasião, embora houvesse cerca de quatro milhões de doadores no Redome, nenhum era compatível com o pequeno Ravi.

Para se cadastrar, basta ir a um posto de Hemomar e fazer uma pequena coleta de sangue, algo em torno de quatro ml.

Segundo Lucemir Pontes, mãe do menino, após a notícia do doador 100% compatível, agora resta apenas resolver as questões burocráticas que atrasam o transplante, como o plano de saúde, que ainda não autorizou o procedimento.

Ela explicou que, como no Maranhão há possibilidade de realizá-lo, ele será feito em outro estado, que ainda será determinado pela equipe médica. Lucemir Pontes ressaltou, ainda, que a campanha de Ravi era “amigo secreto”, portanto a equipe médica não revela quem é o doador, nem de onde vem.

Na última sexta-feira Ravi teve de ser encaminhado para a UTI de um hospital de São Luís, depois um procedimento que quase lhe causou uma parada cardíaca, segundo a mãe.

“Ele foi tomar imunoglobulina [ele precisa tomar todos os meses] e antes dessa infusão, tem de fazer uma pré-infusão, mas a técnica administrou muito rápido e ele quase teve uma parada cardíaca e foi levado às pressas para a UTI, mas reagiu rápido e está bem”, contou.

Por causa do ocorrido, Ravi ainda não tomou sua dose de imunoglobulina, mas permanece bem e está em casa.

mensagem divulgada pela família de Ravi nas redes sociais

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte