Política | Desenvolvimento

Irã e Índia mostram interesse em refinaria e petroquímica no Maranhão

Representantes das duas nações já se reuniram com o vice-governador Carlos Brandão e com o deputado federal e ex-governador José Reinaldo Tavares para iniciar tratativas no Brasil
Marco Aurélio D''Eça - Editor de Política20/11/2016 às 06h00
Irã e Índia mostram interesse em  refinaria e petroquímica no Maranhão

Os governos do Irã e da Índia deram ontem mais uma clara demonstração do interesse em investir na construção de uma refinaria e de um pólo petroquímico no Maranhão. O ex-governador José Reinaldo Tavares, hoje deputado federal, foi convidado a participar de uma missão oficial nos dois países no próximo mês de dezembro, onde será discutido a implantação dos dois investimentos no Estado.

A missão oficial será liderada pelo ministro de Minas e Energias do Brasil, Fernando Coelho. Pelo Maranhão, além de Zé Reinaldo, também estarão presentes o vice-governador Carlos Brandão e o secretário estadual de projetos especiais, Pierre Januário.
De acordo com Zé Reinaldo, esse é um projeto bem diferente da Refinaria da Petrobrás. “Este é um investimento com recursos destes dois países, que querem ser grandes parceiros brasileiros na área de mineração. Não envolve recurso nacional. A Petrobrás na verdade tem todo interesse, pois é um investimento internacional em uma área que pra ela é prioridade”, explicou.
Zé Reinaldo informou que o investimento gira na casa de três bilhões de dólares. “Num momento deste de crise, o governo brasileiro sabe da importância de um investimento como esse, avaliado na casa de três bilhões de dólares e que vai gerar milhares de empregos direto e indireto, além de produtos derivados do petróleo. O deputado federal levou o embaixador Iraniano há diversas reuniões com representantes do governo brasileiro. “Estivemos reunidos com os ministros Fernando Coelho, o Serra, Padilha, Moreira Franco e com o presidente da Petrobrás.”, observou.
O Deputado Federal informou ainda que o investimento será na cidade de Bacabeira. “Vamos aproveitar toda a área onde seria feita a obra da Petrobrás. Não se pode jogar fora o que já foi feito naquela região. Muito se investiu naquele município e esse recurso deve ser valorizado”, explicou.
A ideia dos iranianos seria trazer o óleo até o Brasil, refiná-lo no Nordeste e vender os derivados no mercado brasileiro.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte