Cidades | Na Praça Deodoro

Vídeo: Ambulante é flagrada enchendo garrafas de água mineral usando água de um balde

Dona Rosa afirmou que não iria vender o líquido e a vigilância sanitária prometeu ação no local nos próximos dias
OESTADOMA.COM18/07/2016 às 16h49

SÃO LUÍS – Um vídeo que está circulando nas redes sociais desde o fim de semana, com um flagrante de uma vendedora ambulante enchendo garrafas de água mineral com água de um balde na Praça Deodoro, tem causado bastante polêmica em São Luís. Em entrevista ao repórter da Rádio Mirante AM, Danilo Quixaba, Rosa Amélia Rosa afirmou que não iria comercializar o líquido e se mostrou surpresa com a repercussão do assunto. Em contato com a reportagem de OEstadoMA.com, a superintendência de Vigilância Sanitária e Epidemiológica da capital informou que já recebeu o vídeo e pretende realizar uma ação no local nos próximos dias.

Passando em um veículo às margens da praça, um cinegrafista amador se assustou com a cena e filmou, de dentro do veículo mesmo, a comerciante enchendo garrafas de 300ml com uma água retirada de um balde. Diante da tamanha repercussão das imagens, o repórter Danilo Quixaba foi até a praça e entrevista a Dona Rosa. Ela, prontamente negou, e afirmou que iria usar as mais de sete garrafas como peso para a tampa do isopor. A vendedora disse, também, que foi procurada por várias pessoas para dar explicações sobre o episódio.

“Eu estava enchendo as garrafinhas para botar sobre a caixa de isopor para deixar de amostra. Se eu não botar, ninguém compra. Se eu deixar seca o vento derruba. Claro que eu não iria vender. Eu não tenho necessidade disso. Eu trabalho aqui há 16 anos”.

“Me procuraram para mostrar esta imagem. Isso foi feito por quem não tem o que fazer. Eu não tenho necessidade. Compro a minha água com dinheiro”, acrescentou ela.

Blitz na praça

A superintendente de Vigilância Sanitária e Epidemiológica de São Luís, Terezinha Lobo, disse que equipes deve realizar, nos próximos dias, uma ação no local. “Nós já recebemos este vídeo. Estamos sabendo de tudo. Mas ainda não tivemos tempo de organizar uma ação no local. Mas, com certeza, estaremos indo lá nos próximos dias”, disse.

Ao ser questionada sobre os trabalhos periódicos que devem ser realizados em locais onde são comercializadas bebidas e comidas a superintendente não respondeu. “Estou em uma reunião e não posso falar agora”, encerrou.

ASSISTA AO VÍDEO ABAIXO

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte