Geral | Segundo Tempo

Monitores de programa afirmam que não recebem dinheiro há cinco meses

Profissionais de Educação Física, que trabalham em programa executado pelo Governo do Estado, denunciam situação
O Estadoma.com23/03/2016 às 10h09
Monitores de programa afirmam que não recebem dinheiro há cinco mesesPrograma Segundo Tempo é voltado para crianças e adolescentes (Leitor O Estado)

Professores que atuam no Programa Segundo Tempo denunciam que não estão recebendo suas remunerações há mais de cinco meses. Segundo um professor de Educação Física, que preferiu não se identificar, mais de 30 profissionais que trabalham em escolas da rede estadual de ensino não recebem remuneração desde novembro do ano passado. O Segundo Tempo é um programa do Ministério dos Esportes, executado, no Maranhão, pelo Governo do Estado, por meio de convênio.

"Tem alguns coordenadores, que recebem R$ 900,00, que até hoje nunca receberam nada. Todos nós somos professores de Educação Física, monitores, que recebem R$ 450,00 e mais vale de R$ 70,00", conta o professor, segundo o qual outros profissionais já buscaram informações na Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan), mas não obtiveram sucesso.

O Programa Segundo Tempo foi criado em 2003, com o objetivo de democratizar o acesso à prática esportiva no país, principalmente nas áreas de maior vulnerabilidade social. No ano passado, o governador Flávio Dino anunciou o início das atividades do programa por meio de 150 núcleos, distribuídos nos quatro municípios da Região Metropolitana (São Luís, Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar). O objetivo era beneficiar 15 mil crianças e adolescentes da rede pública de ensino, com idades de 6 a 17 anos. Mas as atividades do programa estariam paradas desde o mês passado.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) esclarece que está tomando providências para regularizar o mais breve possível o pagamento dos monitores do Programa Segundo Tempo. Ainda segundo a nota, o programa está em fase de reestruturação e replanejamento nas escolas, a fim de atender com mais qualidade e alcançar melhores resultados no estado.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte