Cidades | Risco

Em meio ao combate ao mosquito Aedes aegypti, lixões ainda proliferam em São Luís

No Turu, morador registrou acúmulo de lixo, que pode facilitar a proliferação do transmissor da dengue
O Estadoma.com18/03/2016 às 09h29
Lixão em rua no Turu facilita acúmulo de água parada

O combate ao mosquito Aedes aegypti continua, com várias frentes - como mutirões de limpeza em prédios públicos -, mas uma prática recorrente em São Luís ainda dificulta o extermínio do transmissor da dengue, zika e chikungunya: a proliferação de lixões em terrenos abandonados na capital. Todos os dias, O Estadoma.com recebe denúncias de leitores sobre locais que são utilizados para o descarte irregular de resíduos sólidos.

Esta semana, o Estadoma,com mostrou pontos de acúmulo de lixo no Anjo da Guarda - dentro de uma residência - e no Sá Viana. O leitor Josimar Abreu, morador do Turu, registrou em fotos o acúmulo de lixo na Rua 6 do bairro, localizada atrás da Avenida Rei de França. O local, onde deveria funcionar uma praça, serve como ponto de descarte de resíduos sólidos. Pelas imagens, é possível encontrar, por exemplo, pneus velhos, que propiciam o acúmulo de água parada e servem de criadouro para o Aedes aegypti.

Lixão em rua do Turu serve de criadouro para mosquito

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte