Geral | Sumiço

Buscas por advogados desaparecidos após sumiço de ultraleve continuam sem sucesso

Comandante da aeronáutica diz que apenas uma parte da aeronave foi encontrada e os trabalhos foram encerrados por hoje
O Estado Online11/02/2016 às 18h18
Helicóptero do mesmo modelo do que está sendo usado nas buscas

SÃO LUÍS – As buscas pelos dois advogados que estão desaparecidos, após o sumiço de um ultraleve, do modelo anfíbio Seanmax, foram frustradas nesta quinta-feira. Os focos dos trabalhos estão sendo entre Estiva e a cidade de Bacabeira, onde foi encontrada parte da cauda da aeronave. José do Vale Filho, 56 anos, que estava pilotando, e o amigo Júlio César de Morais, saíram às 16h30 desta terça-feira(9), do município de Arari com destino a São Luís. Os trabalhos foram encerrados nesta quinta-feira e recomeçam nesta sexta-feira pela manhã.

As buscas estão sendo realizadas pela Força Aérea Brasileira (FAB), em parceria com o Corpo de Bombeiros, Capitania dos Portos do Maranhão, Centro Tático Aéreo (CTA) e pelas polícias Militar e Civil. Helicópteros, um avião, e embarcações estão sendo usados nos trabalhos. Mergulhadores também fazem a procura. “As buscas não foram interrompidas, e estamos trabalhando sem parar. Estas buscas serão feitas do nascer ao pôr do sol. Estamos fazendo trabalho aéreo, terrestre e aquático em toda a região que faz parte do trajeto que foi feito pela aeronave”, explicou Fernando Curvo, comandante do Destacamento de Controle de Espaço Aéreo (DTCEA) da aeronáutica.

João do Vale que estava pilotando o ultraleve.

O comandante falou, também, sobre a peça da aeronave que foi encontrada. “O que foi achado foi o estabilizador horizontal, que é aquela pequena asa que fica na cauda da aeronave. A peça mede ao todo cerca de 3 metros e já foi periciada”, explicou Curvo. Ele lembrou que muitos moradores da região estão afirmando ter encontrado destroços do ultraleve, mas nenhum outro achado foi confirmado oficialmente.

Homens do Corpo de Bombeiros durante trabalho de buscas no fim da tarde desta quinta-feira.

Antes de perderam contato, os dois advogados entraram em contato com a família, e um deles afirmou que as condições do tempo não eram boas no momento do voo.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte