Coletiva

Comissão cobrará elucidação da morte do índio Eusébio Ka'apor

OAB realizou ontem coletiva para tratar do assunto e extração de madeira no estado
15/05/2015

Uma comissão da tribo Ka'apor, localizada no Alto Turiaçu, virá a São Luís ainda esta semana para exigir da cúpula da Secretaria de Segurança Pública e da Procuradoria da República mais agilidade e rigor no trabalho investigativo da morte do membro do Conselho de Gestão Ka'apor, o índio Eusébio Ka'apor, de 42 anos, ocorrido na madrugada do dia 27 de abril, nas proximidades do povoado Buraco do Tatu, na cidade de Maranhãozinho. Na tarde de ontem, a Ordem dos Advogados do Brasil da seccional do Maranhão (OAB/MA), por meio da Comissão de Direitos Humanos, realizou uma coletiva, na sua sede, localizada no Calhau, para tratar da morte do indígena como ainda pela extração ilegal de madeira no estado.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte